terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Casa da Familia Wohlfart

Na comunidade de Linha Becker, está localizada uma das residências com arquitetura germânica, mais antigas do município. A casa foi construída na década de 1930 pela família de Georg e Barbara Wohlfart e conserva seus traços originais até hoje.

Mapa da Colônia Porto Novo.

Mapa que acompanha o livro propaganda sobre a Colônia Porto Novo.

HELICÓPTERO EM ITAPIRANGA


Essa certamente é a fotografia mais antiga que retrata a vinda de um helicóptero a Itapiranga. Ele pousou no pátio da hoje Igreja Matriz, em frente ao antigo prédio da escola São Vicente. Reparem que na cauda do helicóptero está escrito algo sobre "serviço de aerofotografia". Serviço contratado para fotografar a extensão do Rio Uruguai e registrar seu potencial hidrelétrico. Imagens desse mesmo helicóptero podem ser encontradas nos museus das hidrelétricas de Foz do Chapecó e de Itá.

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Clube de Mães da E.E.F. Porto Novo




Na escola Porto Novo, ha alguns anos atrás eram realizados encontros do Clube de Mães. Tratava-se de um clube de mães de alunos, que estavam dispostas a ajudar a escola.

Neste Clube elas também ensinavam como bordar, costurar e outras atividades que poderiam contribuir como fonte de renda.


sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Propagandas da venda de lotes da Colônia Porto Novo

Estas eram propagandas publicadas em revistas e periódicos da época que promoviam a venda de terras ou lotes coloniais no então núcleo colonial Porto Novo. Havia intensa propaganda e percebe-se que o publico alvo era de língua alemã.



Nem todas as informações eram verídicas, como por exemplo, "as terras ideais para o plantio de café". (Em 1929 ainda aparecem as "terras para café" nas propagandas, mas depois da crise de 1930, que inclui também o café, elas não aparecem mais). Outro exemplo interessante  trata sobre a inexistência de formigas - Ameisen - nas terras do lote colonial (no item 9 da imagem ao lado).
 Mesmo com todos os recursos, as formigas representam ainda hoje uma ameaça real às plantações, imagine então como era naquela época.
Terras sem formigas seria um sonho para todo agricultor!


















O "Tee" que aparece nas propagandas possivelmente representa a existência de ervais.  A possibilidade de explorar economicamente a erva mate também significava algo positivo nos lotes coloniais. A erva mate, juntamente com a banha, o fumo, o açúcar, o café e as frutas tropicais eram considerados os principais produtos do novo núcleo colonial "Porto Novo".
Essas informações eram publicados dessa maneira para convencer melhor as pessoas a comprar terras.
















Também eram publicados os valores dos lotes. Atualmente não é tão simples entender e pensar qual o valor da terra naquela época. Uma maneira interessante de investigar e estudar os valores é comparando-os com os valores de outras coisas e assim conseguir um valor aproximado.





























Fonte das Imagens: Dados pesquisados na revista SKT. Paulusblatt, no arquivo da UNISINOS, São Leopoldo-RS.

domingo, 4 de maio de 2014

Prof. Márcio, iniciando as atividades no blog

Após um bimestre de atividades e abordagens sobre diversos assuntos referentes à história de Itapiranga, gostaria de compartilhar algum material que utilizei durante as aulas. Como minha primeira postagem neste blog escolhi algo que acredito ser interessante para todos que gostam de história. Trata-se de um dos primeiros livros sobre a região que formou a Colônia Porto Novo. Um livro propaganda que buscava convencer as pessoas a comprar lotes nessa nova colônia. Nesse livro podemos encontrar várias informações sobre a descrição do clima, do relevo e do solo da região. Algumas informações bastante curiosas como na página 25 onde se lê que “Giftige Schlange kommen in Porto Novo nicht vor”, ou seja, “em Porto Novo não há cobras venenosas”. Também vale ressaltar outro aspecto interessante que é a parte do livro que trata das recomendações para os imigrantes de além-mar, especialmente alemães: sobre o perfil do migrante (Wer soll aus Übersee zuwandern, página 40) e sobre o que o imigrante deveria trazer do além-mar (Was soll der Einwanderer aus Übersee mitbringen, página 43). Uma das dificuldades encontradas com os alunos foi a tradução de informações da língua alemã, na qual contamos com a prestigiosa ajuda da professora de alemão, Srª Ivete Altenhofen. Mesmo para quem não lida muito bem com a língua alemã, o livro pode ser interessante, pois a parte final do livro apresenta uma rica coleção de imagens. Vale a pena conferir!
O arquivo do livro em formato pdf pode ser obtido no link abaixo:

Livro propaganda da Colônia Porto Novo

Obs: Devo me desculpar pela qualidade de algumas imagens e acrescentar que existe a possibilidade de novas digitalizações se houver interesse especial, basta entrar em contato.

sábado, 28 de dezembro de 2013

AO FINDAR O ANO DE 2013 ...



Quero aqui, agradecer a todas as pessoas envolvidas no Projeto do Blog de História Local Porto Novo.
Este trabalho iniciou em 2012 junto á escola EEF Porto Novo, como uma atividade de aprendizagem que era desenvolvida junto ás aulas de História Local. Em 2013, a proposta se tornou um projeto de estudos mais complexo, onde, de maneira interdisciplinar, foi desenvolvido o projeto Memórias Vivas.
Em 2013, tivemos a oportunidade de participar com o projeto do Blog, da Feira Regional de Ciências e Tecnologias na cidade de São João do Oeste, onde nosso projeto se classificou para a VIII Feira Estadual de Ciências e Tecnologia da Educação Básica, que ocorreu na UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina, em Lages.
A partir do ano 2014, este projeto passará a ser coordenado pelo professor de História Márcio Werle. A todos os alunos que se envolveram ao projeto ao longo destes dois anos de caminhada, de coração, muito obrigado! Á direção da escola que incentivou o projeto, e, aos professores envolvidos na atividade interdisciplinar do projeto Memorias Vivas, meus agradecimentos.
Ao professor Márcio, sucesso no projeto!
Um abraço, professor Leandro Mayer.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Gruta Rainha da Paz

Grupo de Irmãs da Divina Providência em frente á Gruta Rainha da Paz em Itapiranga. As Grutas são resultdo do espírito religioso instituido desde o início da colonização em Porto Novo. Praticamente todas as comunidades do interior mantém ativo uma gruta em homenagem á Nossa Senhora. Colaboração: Bruna Klein.

historia localllllllllllllllllllllll

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

PONTE SOBRE O MACACO BRANCO

Registro da primeira ponte sobre o rio Macaco Branco em Linha Laranjeira. Repare que na época a construção era de madeira e extremamente estreita. Colaboração: Franciele Hofmann.1110

terça-feira, 19 de novembro de 2013

ENCHENTE NO RIO URUGUAI DE 1965

Essas estão entre as poucas fotos que retratam a enchente do Rio Uruguai de 1965. A enchente é lembrada como uma das maiores já registradas no rio. Segundo depoimentos, naquele ano aconteceu um fenômeno raro na região: a neve. Colaboração: Franciele Hofmann.

sábado, 16 de novembro de 2013

CARTEIRA DE MOTORISTA


Muitos ainda guardam em suas casas, antigas folhas com os sinais de transito, que deveriam ser decorados para tirar a carteira de motorista. Colaboração: Franciele Hofmann.

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

LEMBRANÇA DE PRIMEIRA COMUNHÃO

primeira comunhãoA colaboração desta postagem é da aluna Carol Stein da Silva, e, traz a lembrança de Primeira Comunhão de sua avó Romana Schorr Stein, emitida pela Paróquia São Pedro Canísio no ano 1953.

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

MIMEÓGRAFO

Muitos professores se lembrarão da época em que “multiplicavam” suas provas no Mimeógrafo, assim como muitas pessoas se lembrarão da época em que eram estudantes, quando recebiam as provas em sua classe, muitas vezes ainda cheirando a álcool. Esse é um belo exemplo da “transformação” que ocorreu em nossas vidas. Nossos estudantes nem sempre conseguem entender toda essa complexidade.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

CHUVEIRO DE LATÃO

As fotos desta postagem foram tiradas no museu Almiro Theobaldo Müller de Itapiranga. Não é intuito deste blog, publicar fotos de objetos que estão nos museus, mas, esta imagem se torna interessante pelo teor e valor histórico. Muitas e muitas pessoas que irão ver esta foto certamente se lembrarão da época em que tomavam seus banhos nesses chuveiros de latão. Eles eram usados em todas as famílias de Porto Novo antes da vinda da energia elétrica. Este chuveiro foi doado para o museu pela família de Henrique Aloisio Köerbes.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

FECHADURA DE PORTAS

Reparem como eram as fechaduras das portas há algumas décadas. Teríamos segurança com elas hoje em dia? Naquela época era menos perigoso? Certamente...

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

VISITA DA CAPELINHA

Desde a colonização de Porto Novo, o espirito religioso e a doutrina Católica sempre prevaleceram em Itapiranga. Ainda é possível encontrar as “capelinhas” que são levadas de casa em casa. Segundo a tradição, a capelinha permanece na casa da família por 1 dia, e, após isso, é levada até a casa vizinha. Comumente, cada família recebe a visita da capelinha a cada 30 ou 45 dias, respeitando-se sempre o mesmo roteiro.

domingo, 27 de outubro de 2013

BATATA SEMENTE

Nem sempre conhecemos a origem daquilo que comemos. Para muitos alunos, foi novidade saber que a batatinha germina dela mesma. Plantada, se desenvolve e produz dezenas de novas batatas.

Registros dão conta que, quando produzida nos primeiros anos de colonização em Porto Novo, os pioneiros ficavam impressionados com a produção, especialmente por causa do solo fértil.

sábado, 26 de outubro de 2013

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

PLATZIEREN ZU KÄMMEN

ConSANY3362hecido por muitos como o lugarzinho para se pentear, o platzieren zu kämmen ainda pode ser encontrado em muitas residências antigas de Itapiranga. Como vemos pelas fotos, tudo é muito simples. Certamente muitos de nossos pais e avós conviveram nas mesmas circunstancias.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

IMAGENS SAGRADAS

Itapiranga – antiga Colônia Porto Novo, foi colonizada por ALEMÃES CATÓLICOS. Não é difícil encontrar nas residências, especialmente nas mais antigas, paredes revestidas de quadros de imagens sagradas. Essa é apenas mais uma característica do espirito colonizador introduzido aqui.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

STEREOSCOPE – VISUALIZADOR DE FOTOS ANTIGAS

Denominado Stereoscope, o aparelho desta postagem –era usado no inicio do seculo XX para visualizar fotos antigas. O aparelho permite visualizar um par estereoscópico de imagens separadas , descrevendo vistas a olho esquerdo e o olho direito da mesma cena , como uma única imagem tridimensional.

Em Itapiranga, algumas famílias guardam o aparelho, trazido pelos pioneiros na década de 1920.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

PINICO

Ao visitar um quarto de alguma pessoa de mais idade, não é difícil visualizar um pequeno armarinho junto á cabeceira da cama. Muitos deles guardam “pinicos”, usados para as necessidades fisiológicas durante a noite.

Essa característica vem de muitos anos. Em Itapiranga, em especial, os banheiros (conhecidos como “capungas”) ficavam FORA da casa, normalmente a alguns metros de distancia. Diante dessa situação, usavam os pinicos junto ao quarto.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

ROUPAS EM GANCHOS

Armários de roupas e cabides são um luxo hoje em dia, comparado com a forma com a qual as pessoas “se viravam” há algumas décadas. Nesta portagem, mostramos roupas penduradas em ganchos de madeira, que eram fixadas nas paredes dos quartos, também de madeira.

SANY3325 SANY3326

domingo, 20 de outubro de 2013

PROJETO DE HISTÓRIA LOCAL DE “MALAS PRONTAS” PARA A ETAPA ESTADUAL

“Tudo o que o homem é, só experimenta através da história”

projeto[4]O Blog História Local de Porto Novo – atual Itapiranga-SC, está de “malas prontas” para participar nesta semana, nos dias 23, 24 e 25, da VIII Feira Estadual de Ciências e Tecnologia da Educação Básica, que ocorre na UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina, em Lages.

O projeto desenvolvido junto á EEF Porto Novo de Itapiranga, representará a Gerência de Educação de Itapiranga na modalidade Ensino Fundamental. Viajará a Lages, além dos estudantes João Vitor Facco e Bruna Luisa Klein, o professor da disciplina de História Local, Leandro Mayer. 

MALA DE VIAGEM

Muitos, jamais irão se desfazer das malas de viagem na qual trouxeram seus poucos pertences a Porto Novo a partir de 1926.

MAQUINA DE COSTURA

Certamente muitos tIMG_3118erão profundas lembranças ao verem esta postagem. As máquinas de costura acompanharam a vinda dos pioneiros e a colonização de Porto Novo. Naquela época, as roupas eram todas confeccionadas em casa. Comprava-se apenas o tecido, e a mãe, costurava as peças de roupa para toda família. Era comum ter a mesma cor e modelo de camisa para todos os homens da família, por exemplo. Foto: Milena Eidt.

sábado, 19 de outubro de 2013

MEMÓRIAS DE AFONSO SPIES

Texto escrito por Leonardo Sausen e Rafael Fritzen – 7º ano
Revisão Ortográfica: Professora Regina Steinhorst

Afonso Spies é um idoso de 85 anos, que tem uma bela e fascinante história de vida. Lendo essa memória viva, tenho certeza de que você vai dar mais valor, a sua vida.
Afonso Spies, nasceu no ano de 1929, natural de Santa Cruz do Sul/RS, filho dos agricultores Regina e Ervino Spies.


INFÂNCIA
Em 1929, apenas com 9 meses veio para Porto Novo com seus outros 6 irmãos, onde se instalaram no interior da comunidade de Laranjeira Alta. Lá só havia seis casas na época. Hoje ele mora em Itapiranga, feliz pela escolha de seus pais por terem vindo para cá.
A família de Afonso vivia da agricultura e criavam porcos e galinhas. E apesar de serem uma família grande, nunca passaram dificuldades.  A vinda para Porto Novo foi uma coisa que para sua família nunca lhes deu arrependimento.
O pai de Afonso, Ervino Spies, depois de alguns anos em Porto Novo, começou a trabalhar como corretor de imóveis, mas nunca parou de trabalhar na agricultura.
 Ele se recorda que brincavam bastante no barranco do Rio Uruguai, e pescavam muito. “Era mais fácil de aprender as coisas e as crianças se divertiam muito, brincavam mais fora de casa do que as crianças de hoje”.

A MUDANÇA PARA A CIDADE
Itapiranga na época se chamava Porto Novo. “Era uma cidade com bastante vegetação. O pessoal não se preocupava com o desmatamento, e derrubavam as árvores, esse foi um fato que diminuiu muito o número de árvores nativas da região. Todo o trabalho era à base da picareta e enxada. O comércio era bem pequeno”.

JUVENTUDE
Na juventude, os dias mais legais eram os finais de semana. “Jogávamos muito futebol e fazíamos brincadeiras de todos os tipos, e o que não podia faltar era a pescaria! Nos domingos tínhamos que ir para a missa, senão à tarde não poderíamos brincar. Depois da Missa, íamos para casa, para comer nossa carninha. Era muito diferente de hoje!’’

PRESENTES QUE SE GANHAVA NA ÉPOCA
Não se ganhava chocolates, balas... naquele tempo. Apenas casquinhas de ovo com amendoim dentro, era difícil ganhar algum presente. Era mais difícil ainda ganhar o que se pedia para os pais.

AMOR DA VIDA
Na época, o namoro era muito rígido e bem vigiado pelos familiares. Ele teve sua primeira namorada aos 26 anos. Ela é hoje sua esposa.
Os pais de Afonso Spies, também vigiavam o seu namoro, mas não era algo muito rígido. Ele conta que essa forma de namoro, ele também exigiu de seus filhos. O namoro de seus netos, comparado com o namoro de sua época é muito diferente, conta ele.

RELIGIÃO E SAÚDE
No passado, na Missa era o lugar onde todos iam bem vestidos, com suas melhores roupas do guarda-roupa... “Era mais divertido, todo domingo tinham que ir para a Missa, havia Doutrina, e sempre havia ministros e padre nas Missas, hoje está tudo mudado, lembra”.
A saúde, pelo contrário melhorou muito, naquele tempo muitas pessoas morriam por falta de médicos. Não havia anestesia, e, a principal causa de mortes era a perda de sangue, hemorragia. Para ser atendido precisavam pagar. “Era difícil, tinha hospital, mas havia somente um médico”. Conta que era quase tudo feito em casa, quando alguém estava doente.

DESFILES DE SETE DE SETEMBRO
Os desfiles de sete de setembro eram muito bonitos e continuam sendo, todo ano havia desfile. Ele conta que sempre ia aos desfiles e hoje em dia, vai quando pode. Na época todas as escolas do interior participavam, e todos os alunos precisavam marchar de verdade, não caminhar como hoje.

A PRIMEIRA ELEIÇÃO DE PORTO NOVO QUE AFONSO PRESENCIOU
Foi a primeira eleição para prefeito, em que Arthur Goerck, um dos concorrentes acabou se tornando prefeito. Conta que foi bem simples, que não havia muita discussão e era à base do bilhete numa caixa.

MEIOS DE TRANSPORTE E MEIOS DE COMUNICAÇÃO
Os meios de transportes utilizados na época eram carroças e cavalos. Eram os únicos meios, por isso, percursos que se faziam na época em 8 horas, hoje são feitos em 20 a 30 minutos.
O único meio de comunicação, era através de carta, muito usado na época. Uma das dificuldades que a família de Afonso Spies sofreu foi a de se locomover, pois não havia meios de transporte e às vezes o lugar era muito longe.

A VINDA DA EMPRESA SAFRITA PARA PORTO NOVO
Foi em 2 de Setembro de 1962. Primeiro foi convocado uma reunião entre todas as famílias das colônias, onde foi aprovada a vinda da Safrita para Porto Novo. Quando a Safrita chegou em Porto Novo, foi organizado um desfile, para comemorar sua chegada, onde foi colocado toda sua frota de caminhões.

TRABALHO VOLUNTÁRIO
Afonso Spies conta que ajudou a construir a Igreja Matriz, o Colégio São Vicente, o Colégio de Sede Capela e o Hospital. Ele lembra que o trabalho era voluntario. Conta que todos os dias que podia, ajudava na construção da Igreja São Pedro Canísio. Fala que era muito difícil a vinda de materiais aos devidos lugares. Sente orgulho de ter participado da construção dos quatro edifícios, ainda em pé em Itapiranga. Pois tudo era à base da enxada, pá, machado, e muita força do homem.
O Comércio de antigamente não é nada parecido com o de hoje. Na época, só havia um local de venda, a Comercial Weiss. Era quase tudo mato. Para chegar a uma estrada, era só por pique no meio do mato.

ACHADOS INDÍGENAS E OLARIA
A Olaria de Afonso Spies e de seu irmão, foi inaugurada em 1951, onde se localiza o atual campo de futebol da Associação Seara. A produção de tijolos não ocorreu por muitos anos, pois em 1962, a Safrita resolveu comprá-la. Afonso e seu irmão continuaram trabalhando por algum tempo, pois haviam assinado contratos de entregas de tijolos. Depois que esses contratos acabaram, Afonso resolveu ir trabalhar na Safrita.
Havia muita produtividade de tijolos. Os tijolos eram entregues por Carroças puxadas por bois. A venda de tijolos era grande, muitas pessoas faziam encomendas.
Conta que, numa das escavações para a retirada de terra do barral, foram encontrados achados Indígenas... ossos, pedras, urnas Funerárias, panelas de barro. Esses objetos não podiam ser aproveitados, pois haviam sofrido muito com a ação do tempo. Quando se tocava eles se desmanchavam, com isso, não foi feito nenhum estudo, mas alguns colonos tiveram a sorte de encontrar esses objetos inteiros.

A ESCOLA E A VIDA HOJE
Afonso relembra do primeiro dia de aula que teve. Foi aula de alemão, em uma pequena casinha do lado da igreja, só havia um professor.
Afonso ficou meio ano sem estudar, por causa da ditadura, e só aprendeu a falar português algum tempo depois.
A ditadura foi a época mais difícil da sua vida, pois não era permitido falar alemão, só o português, se alguém era pego falando o alemão, era preso.
Hoje, Afonso fala e escreve as duas línguas, Português e o Alemão.
Afonso Spies não se arrepende de nada que tenha feito em sua vida. Hoje é aposentado e vive ainda em Itapiranga, no bairro Centro, próximo ao porto da barca.
Ele fica feliz, em saber que outras pessoas poderão estar lendo a sua história de vida.